YayBlogger.com
BLOGGER TEMPLATES

sábado, 4 de março de 2017

Por detrás da cortina



Nesses últimos dias me deu na telha pensar se deixar ir é o mesmo que desistir? Entendendo o cru da pergunta e pondo diante da nossa realidade, pode se dizer que o que eu reflito é pura maluquice, algo sem nexo. O que digo é que esse montante de coisas que passa a fio na internet, muito coisa, é deixada para trás.
Acredito e é verdade, ninguém é massinha de modelar de ninguém, pois a vida em si já nos transforma e nos enche de boas novidades, ninguém também é obrigado a aguentar as inseguranças dos outros ou se encaixar ali ou aqui para está próximo de outra pessoa - digo próximo daquela aba de conversa do Messeger.
Concordo completamente com este parágrafo de cima.
Porém a outra face disso tudo é que esquecemos que do outro lado existe alguém, que acaba de tratado tão bem com uma mensagem de bom dia, perguntando se você está bem e até mandando  uma foto da sua mão machucada querendo que de certa forma que você participe daquilo e saiba da sua vida. Porque para esse alguém é motivo de gostar daquele momento delicioso entre caixinhas azuis com palavrinhas dentro.
Somando tantas coisas externas que te fazem voltar a pergunta de cima e você percebe que andou tentado diante da dificuldade de se conhecerem ao vivo, de uma conexão mais direta em uma chamada ao vivo, enfim amolecemos um pouco e notamos o quanto estamos sendo duros consigo mesmo.
Mas a lista só aumenta, por que raios existe a insegurança de por fé nas palavras dos outros e muito mais com um "eu gosto de conversar com ti"? Minha amigas nos últimos dias me alertaram que a internet está aí para ser um pano no ar, onde ninguém ver o rosto de ninguém, então se quebrar a cara está tudo bem e não tem motivos para ficar presa em confiar ou não, mandar mensagem ou não.
O que estou tentando dizer nessas palavras bagunçadas e talvez confusas porque tudo está vindo de dentro, é o seguinte: que esse mundão tecnológico desfaz a mágica de a outra pessoa ver que está ali lutando por alguma coisa, embora não responda as mensagens na hora ou se responde com palavrinhas curtas.
Afinal, eu também gosto da tua companhia nem que seja aqui e os meus dias somam com a ideia fixa de você na cabeça com o que você falou naquela mensagem, pensando como seria no mundo real.

Nenhum comentário:

Postar um comentário